Programa de Informática Pedagógica



História da Constituição do Núcleo de Tecnologia Municipal – NTM

Em 1997, com a criação do MEC/PROINFO - Programa Nacional de Informática na Educação, do Ministério de Educação e Cultura e, por meio de envio do Projeto de Informática Pedagógica para a inserção da Rede Municipal de Ensino, no respectivo programa, Joinville foi escolhida como uma das cidades do Estado de Santa Catarina a receber equipamentos para montagem de uma sala especialmente estruturada para o trabalho com tecnologias na educação. Naquela época, o programa do MEC ofereceu computadores que se comunicavam entre si, através de rede interna e impressoras. A conexão com a internet não fazia parte do PROINFO.

Esta aprovação gerou frutos imediatos. Em 1998, a EM Dr. Hans Dieter Schmidt recebeu a primeira sala da Rede Municipal de Ensino. Naquele ano, o processo educativo desenvolvido na ‘sala informatizada’ – nome cunhado pelo Ministério da Educação ficou sob  a responsabilidade do NTE - Núcleo de Tecnologia Educacional da Rede Estadual de Ensino, em parceria com a Secretaria de Educação e Cultura1. Os professores desta escola receberam formação nos recursos do Office, oferecidos por duas Supervisoras de Informática da SEC.

Foi neste ano que a Secretaria de Educação percebeu a necessidade da inserção de um professor para trabalhar especificamente neste espaço, estabelecendo vínculo pedagógico com os demais professores da escola, incentivando-os e acompanhando-os em sua ação educativa.

Transcorrido algum tempo, mais especificamente em 1999, o PROINFO permaneceu inalterado na Rede Municipal de Ensino. O Governo Municipal, preocupado com a continuidade do Programa de Informatização Pedagógica na Rede, investiu na compra de computadores e mesas pedagógicas. As três escolas beneficiadas foram: EM Anita Garibaldi, EM Prof. Ada Sant'Anna da Silveira e EM Dr. Hans Dieter Schmidt. As formações foram realizadas pela SEC em parceria com a empresa fornecedora dos equipamentos.

Em 2001, o PROINFO voltou a beneficiar a Rede Municipal de Ensino, desta vez, com trinta e  duas salas informatizadas. Esta inserção tecnológica maciça, atingindo as escolas urbanas de Ensino Fundamental da Rede e mobilizou as Associações de Pais e Professores – APPs, juntamente com a Secretaria de Educação na adequação do espaço físico e mobiliário para a instalação dos equipamentos. Neste ano, foi necessária a ampliação de um número considerável de professores para atuarem nas salas informatizadas.

Esta inserção em massa mobilizou a Secretaria de Educação na oferta de cursos de formação continuada que preparassem os professores para o uso das tecnologias nos processos de ensinar e aprender. Naquele ano, foram oferecidos cursos para sensibilização, instrumentalização e fundamentação teórico-metodológica na inserção tecnológica no ensino. Nesta ação, foram beneficiadas as escolas municipais: CAIC Desemb. Francisco José Rodrigues de Oliveira, CAIC Prof. Mariano Costa, Ada Sant'Anna da Silveira, Amador Aguiar, Avelino Marcante, Escola Agrícola Carlos Heins Funke, Curt Alvino Monich, Dom Jaime de Barros Câmara, Edgar Monteiro Castanheira, Eladir Skibinski, Geraldo Wetzel, Rosa Maria Berezoski Demarchi, Hans Müller, Hilda Anna Krisch, João Bernardino, João Costa, Karin Barkemeyer, Lacy Luiza da Cruz Flores, Laura Andrade, Lauro Carneiro de Loyola, Maria Regina Leal, Max Colin, Oswaldo Cabral, Pedro Ivo Campos, Ruben Roberto Schmidlin, Sadalla Amin Ghanem, Saul Sant'Anna da Silveira, Sen. Carlos Gomes de Oliveira, Valentim João da Rocha, Anna Maria Harger, Pauline Parucker e Dr. José Antônio Navarro Lins.

Em 2002, a PMJ/SEC decidiu, novamente, investir na ampliação do Projeto de Informatização Pedagógica e, adquiriu com recursos próprios, mais três salas informatizadas: um na EM Padre Valente Simioni, outro na EM Dr. Abdon Baptista e um terceiro na EM Pres. Castello Branco.

No ano de 2005, novo investimento foi feito utilizando recursos próprios da PMJ/SEC, e mais dez novas salas foram instaladas nas escolas: E.M. Orestes Guimarães, E.M. Joaquim Félix Moreira, E.M. Zulma do Rosário MIranda, E.M Elizabeth Von Dreifuss, E.M. Virgínia Soares, E.M. Paul Harris, E.M. Aluizius Sehnem, E.M. Heriberto Hülse, E.M. Bernardo Tank, E.M. Anita Garibaldi.

Até o ano de 2004, o sistema operacional que vinha instalado nos computadores do MEC/PROINFO era o Windows. A partir de 2005, os equipamentos vieram com o Sistema Linux.

Pensando em possibilitar aos alunos e professores da Rede Municipal, o acesso às tecnologias educacionais, em especial o computador, a Secretaria de Educação continuou realizando esforço significativo no sentido de implantar salas informatizadas em todas as escolas da rede. Em 2006, utilizando recursos próprios da PMJ/SEC, foram instaladas mais dezenove salas, com plataforma Linux, em escolas rurais da Rede Municipal. São elas: EM Francisco José Rieper, EM Adolpho Bartsch, EM Emilio Paulo Roberto Hardt, EM Hubert Hubener, EM Arthur da Costa e Silva, EM Anaburgo, EM Honório Saldo, EM Isabel Silveira Machado, EM Reinaldo de França e EM Eugênio Klug. Outra ação de destaque, nesta época, foi a implantação de sala de informática pedagógica no Centro de Educação Infantil Cachinhos de Ouro a partir da iniciativa de sua Associação de Pais e Professores. Estas salas foram denominadas de 'salas multimeios' porque os equipamentos foram instalados nas próprias salas de aula do ensino regular, pois nestas escolas não havia espaço físico disponível para a criação de salas específicas para este fim.

Três anos mais tarde, o Ministério da Educação, através do PROINFO – Programa Nacional de Informática na Educação realizou upgrade de computadores e periféricos das unidades escolares que estavam participando deste programa, desde 1998. Esta ação implicou em renovação parcial do acervo tecnológico das salas informatizadas, melhorando a qualidade do atendimento.

Ao longo de todo esse processo de inserção tecnológica a Equipe de Tecnologias na Educação, sediada na Secretaria de Educação, não mediu esforços na realização de cursos na modalidade presencial (PROINFO INTEGRADO: Introdução à Educação Digital, TICs na Educação, Elaboração de Projetos, Redes de Aprendizagem) e a distância, sendo pioneira nesta última, ao oferecer aos professores cursos de Produção de Rádio Web, Projetos Cooperativos, Currículo Integrado e Webquest: Metodologia de Pesquisa Orientada na Internet.

Homologação do Núcleo de Tecnologia Municipal – NTM

Em 2007, foi enviado para o MEC/PROINFO, Projeto de Criação do Núcleo de Tecnologia Municipal de Joinville - NTM. Este núcleo foi homologado pelo Ministério da Educação, conforme especificado no Ofício nº 1544/2011/DITECSEED/MEC.

Projeto semelhante foi enviado pela Prefeitura Municipal de Joinville ao Ministério da Ciência e Tecnologia – MCIT – Processo nº 2626.240.272-50/2007, que celebra o Convênio entre o Executivo Municipal e a União Federal, por intermédio do Ministério de Ciência e Tecnologia, objetivando a execução de ações relativas ao Programa de Inclusão Digital, que prevê a criação do Centro de Inclusão Digital na Rede Municipal de Ensino.

Ambos os projetos constituíram-se, na época, em grande passo na direção da criação de espaços privilegiados para o desenvolvimento das formações continuadas na área de tecnologias na educação. Atualmente, esta implantação encontra-se em processo de implantação com aquisição de equipamentos tecnológicos, definição de espaço público municipal adequado a esta finalidade e formação de equipe de trabalho constituída por profissionais da área técnica e profissionais com conhecimentos específicos na área de tecnologias na educação.


Ampliação das Ações Educacionais do Núcleo de Tecnologia Municipal

Em 2013, baseada em conceitos como mobilidade, convergência, ubiquidade e inclusão, a Secretaria de Educação/ NTM, implantou o Projeto Escola Digital, aproximando professores e estudantes das tecnologias móveis. São aproximadamente 3.000 notebooks nas mãos de todos os professores e 4.000 tablets nas mãos dos estudantes de sete escolas-piloto da Rede Municipal de Ensino: EM Enfª Hilda Anna Krisch, EAM. Carlos Heins Funke, EM Pastor Hans Müller, EM Profª Rosa Maria Beresoski Demarchi, EM Pref. Nilson Wilson Bender e EM Prof. Sylvio Sniecikovski e EM Gov. Pedro Ivo Campos. Estes equipamentos foram adquiridos por meio de adesão ao Edital de Compras do FNDE, pela Prefeitura Municipal de Joinville.

Da mesma forma, ao longo do ano de 2013, foram oferecidos cursos de sensibilização e introdução aos recursos móveis e à metodologia de inserção destes recursos no processo de ensino e de aprendizagem.
Em 2014, novos investimentos do Governo do Município de Joinville foram realizados, com a atualização – upgrade - dos equipamentos das salas de informática pedagógica. Todas as 83 unidades escolares de ensino fundamental receberam computadores e impressora com acesso à internet wi-fi e/ou banda larga.
Hoje, o Programa de Tecnologias na Educação conta com 107 professores  que atuam como multiplicadores dos conhecimentos tecnológicos nas escolas, aliando tecnologia e educação. Esrtes professores, em ação conjunta com a equipe do NTM, mobilizam esforços na direção da inclusão tecnológica de professores e  estudantes, possibilitando ressignificação dos processos de ensinar e aprender, com tecnologias. 
Considerando-se todo o processo histórico da inserção tecnológica, revelado pela linha do tempo acima descrita, e, considerando as tecnologias como um meio para o desenvolvimento de ensino mais significativo às novas gerações, a Secretaria de Educação compreende que a ação desenvolvida pelo Núcleo de Tecnologia Municipal – NTM – deve ser analisada sob o viés de sua transversalidade, permeando todas as áreas do conhecimento. Sob este ponto de vista, os conhecimentos construídos com o uso das tecnologias na educação devem oportunizar o aprender com, na e sobre as tecnologias, imersas em contextos de significação e não de forma descontextualizada, enfocando tão-somente aspectos que envolvam as habilidades para o manuseio de equipamentos tecnológicos.

A função do Núcleo de Tecnologia Municipal
A função principal do Núcleo de Tecnologias na Educação – NTM – é a de fomentar a construção de redes de aprendizagem que estabelecem vínculos entre os conhecimentos historicamente construídos pela Humanidade e as tecnologias educacionaise, favorecendo a reconstrução de novas formas de pensar as questões e os problemas que envolvem a educação e a sociedade.